Curso para a reta final de preparação do XXXI Exame de Ordem

Vamos estudar forte para a prova do XXXI Exame de Ordem!

publicado em 15/04/2019 às 09h40
O verdadeiro custo da reprovação na OAB

Qual é o verdadeiro custo da reprovação na OAB? Quanto custa tirar a tão sonhada carteira da OAB e então "virar gente grande"?

Já parou para pensar nisso?

De um modo geral temos uma noção abstrata, ou ao menos não muito refletida, de que a aprovação custa muito, pois passamos ao menos 5 anos na faculdade e a aprovação no Exame, único caminho para o exercício da advocacia, ganha uma aura especial e uma percepção de inevitabilidade: é preciso ser aprovado!

Whatsapp do Blog - 61.99314.4383

Talvez fosse fácil meramente, para ilustrar este post, derivar para o caminho da quantificação e tentar expressar em números o custo financeiro para se tornar advogado.

Poderíamos, por exemplo, começar falando do custo da faculdade, algo hoje em torno de uns 70 mil reais (na média), mais o custo de inscrição no Exame, livros, cursos, e mais um longo etc. levando este cálculo a um patamar bem expressivo.

Mas, curiosamente, não quero falar muito objetivamente de dinheiro: isso seria o óbvio.

Quero falar do custo de oportunidade.

E o que é isso?

Imaginem o seguinte: você tem uma grana em um investimento dentro de um banco e para resgatar essa grana precisa de uns 2 ou 3 dias. Então, de repente, surge uma oportunidade há muito esperada: aquele Camaro amarelo com um precinho especial; mas só até amanhã!! Você corre no banco, resgata o dinheiro mas...o valor promocional havia acabado um dia antes, pois, afinal, o resgate do dinheiro levou 3 dias para ser efetuado.

A oportunidade foi perdida...

Imagine agora algo mais próximo, bem próximo da nossa realidade. Você está em um estágio muito legal, com uma perspectiva incrível de ser contratado, mas para isso é preciso ter a carteira da OAB. Vem uma, duas reprovações e o escritório te corta.

Oportunidade perdida.

Pior ainda! Vamos pegar a mesma história acima e desdobrá-la mais um pouco. Hipoteticamente, depois de ser cortado, o escritório passa por uma reformulação e o outro estagiário, aquele que conseguiu passar na OAB e acabou ficando com a vaga que era sua é promovido e se transforma em sócio.

Aquela era uma oportunidade SUA, mas acabou ficando com outra pessoa, que estava no lugar certo e na hora certa para aquilo.

Um desdobramento futuro, evidente, relativamente imprevisível, mas possível, e que não foi aproveitado porque antes, no passado, uma condição não foi implementada: você não passou na OAB.

Poderia passar o dia criando situações hipotéticas parecidas com a descrita acima, que na prática nós chamamos de "se". Se eu isso, se eu aquilo, se fosse assim, se isso não tivesse acontecido, se isso tivesse acontecido e por aí vai.

O "se" como possibilidade, mas não como algo concreto.

Imagine um candidato que reprovou 5, 6 ou 7 vezes. Quantas oportunidades, visualizadas, possíveis ou hipotéticas não foram perdidas?

Isso porque até passar, tudo foi feito e operado como um processo de investimento, de investimento profissional e para a vida. Ter esse investimento negado pela reprovação adia, no mínimo, a fase em que o investimento se transforma em retorno.

E pode também tirar da rota aquela oportunidade especial, e talvez nunca se saiba qual seria.

Sim! O cavalo selado não passa em nossas vidas apenas uma vez. Quem se prepara vê o cavalo passar algumas vezes, mas nunca é o mesmo cavalo e cada um pode te levar até certo ponto. As oportunidades ocorrem, mas não necessariamente são iguais.

Em suma: o importante é estar "pronto" para as oportunidades o mais cedo possível, pois ao menos você estará em condições de OPTAR por aquela que lhe parecer mais conveniente.

Sim! Pode ser que uma opção seja pior do que a outra, mas isso está no campo das variáveis: nem sempre fazemos as escolhas corretas. Aqui estou falando em poder, ao menos, escolher.

E aqui eu entro de vez no assunto: quanto custa reprovar na OAB?

A resposta é complexa, envole um sem-fim de variáveis, mas ela pode ser resumida em um pequeno raciocínio: "o custo pode ser pequeno, pode ser alto, pode ser significativo por muitos anos ou ter um impacto desprezível no tempo. Em suma: o custo é intangível".

E como lidar com isso?

Simples: ficando pronto para as oportunidades o mais cedo possível.

Essa é a solução, ou ao menos a sua lógica, e ela depende de INVESTIMENTO.

Investimento de tempo, de dinheiro, de esforço para você, futuro profissional, ficar pronto no tempo certo.

Quanto custa passar na OAB?

Custa um rol indefinido de oportunidades perdidas.

Custa tempo fora do mercado profissional.

Custa dar espaço para a concorrência tomar espaços que deveriam ser seus.

Concorrência?

Eventualmente considera-se que no Exame de Ordem não há concorrência, diferentemente de um concurso. Puro engano!

No mundo dos concursos, por exemplo, a concorrência é nítida, materializada no concorrente ao seu lado. No Exame de Ordem quem está ao seu lado fazendo a prova não disputa uma vaga por uma carteira da OAB, ele disputa sim é uma vaga no mercado de trabalho, na iniciativa privada ou nos concursos que exigem a carteira da Ordem ou algum tempo de experiência profissional.

Seguindo a lógica deste texto, sim, há concorrência, e concorrência feroz. Não ser aprovado implica em prejuízos sem a menor sombra de dúvida.

Quanto custa passar na OAB?

Depende, majoritariamente, da forma como você vê a realidade. Investir em si mesmo, com seriedade, com afinco, visando a aprovação, destinando o tempo necessário e o investimento em educação necessário para a tingir esse objetivo são, de forma bem simples, diretamente proporcionais a forma como a realidade é vista.

Mais 4 meses gastos para fazer a próxima prova pode não parecer nada. Mas ali, no campo do imponderável, poderia significar muito em termos de tempo e oportunidade perdidos.

Daqui para frente, quando você for pensar no Exame de Ordem, tenha em mente o rol de desdobramentos que o sucesso ou o fracasso podem gerar, e adote uma postura condizente com aquilo que se encaixa melhor com seus sonhos.

Inacreditavelmente até hoje vejo gente que afirma fez a prova "sem levá-la muito a sério." Isso cobra um preço, e esse preço pode ser muito alto. Infelizmente essa pessoa pode nunca saber disso.

Ninguém pode.

O cavalo passa selado algumas vezes pela vida da gente. Esteja pronto para poder ao menos escolher se quer pegá-lo ou não.



Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM