publicado em 22/04/2018 às 11h28
Jovem advogado, aprovado no XXIV Exame de Ordem, é morto em assalto

É muito difícil aceitar que um jovem advogado de apenas 24 anos, recém-aprovado no Exame de Ordem e com a carteira em mão há menos de um mês, aprovado exatamente na última edição da prova (XXIV), com uma esposa e uma filha de apenas 9 meses, cheio de sonhos para ingressar na advocacia, tenha sua vida ceifada de forma tão estúpida e prematura.

Infelizmente o jovem advogado Felipe Fuschi Amaro teve seu futuro interrompido na última quinta-feira, quando o ônibus em que ele estava foi assaltado. O policial militar Elton Ricardo Cunha, reagiu ao assalto e também foi morto pelos marginais. Uma das balas atingiu Felipe, que morreu minutos depois.

Felipe iria iniciar na advocacia logo nesta semana, contratado por um escritório de São Paulo, e tendo o sonho de iniciar o quanto antes a própria advocacia na área tributária.

Ele, recém-formado pela FMU no fim do 1º semestre de 2017, estava na luta como todo mundo que se forma, e consegui sua aprovação agora, no XXIV Exame de Ordem.

A prima de Felipe, Juliana, descreveu como era o advogado:

"Eu soube do que havia ocorrido já perto da meia-noite. Minha mãe e minha tia, mãe do Felipe, souberam umas 22h. É uma tragédia o que aconteceu", lamentou Juliana.

"Ele estava super-feliz porque havia acabado de se formar e passado na prova da OAB; pegou a carteirinha dele [da Ordem] não tem nem um mês. Ele havia feito um estágio na Prefeitura de São Paulo e começaria semana que vem em um escritório de advocacia. Já havia comprado até a roupa para o trabalho novo. Ele queria abrir o próprio escritório e estudava para se aprofundar em direito tributário", relatou. "Mas o maior sonho, mesmo, era ser delegado".

Ainda de acordo com a prima de Felipe, ele "nunca andava de ônibus, não gostava". "Ele vendeu o carro dele e usava o carro da mãe quando precisava. Ontem, saiu para comprar algo e ninguém entende por que ele foi de ônibus".

"Fica o exemplo de um sujeito muito determinado, estudioso, que lutou demais para conseguir viver e que agora começaria a colher os frutos dele de tanto estudo. Não é apenas mais um número da violência", definiu Juliana.

Nas redes sociais, colegas de faculdade homenagearam Felipe:

"Sim, doutor, esse era o seu sonho, menino dedicado aos estudos, alegre, esforçado, papai de uma linda menina, filho exemplar, Uber pós faculdade pra juntar uma grana, adquiriu recentemente a tão sonhada OAB, realizou com êxito a sua primeira audiência trabalhista... enfim, um cara muito dedicado. Não temos palavras pra descrever a nossa revolta e tristeza perante esta tragédia... você não merecia partir assim tão jovem e tão cheio de vida", escreveu uma amiga.

Felipe foi sepultado na sexta-feira no cemitério Vale da Paz, em Diadema.

A Polícia Militar informou que três suspeitos iniciaram o arrastão dentro do ônibus em que estava Felipe. O policial militar Elton Ricardo Cunha, que estava de folga, reagiu ao assalto e acabou baleado cinco vezes - na cabeça, nas mãos e no abdômen, vindo a falecer.

O caso é investigado pelo 26º Distrito Policial no Sacomã.

Com informações do UOL.



Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM