Aniversário JUS21 - 35% de desconto em todo o site

Aniversário JUS21 - 35% de desconto em todo o site

publicado em 19/02/2019 às 13h36
Estagiário de Direito que agrediu empresaria JAMAIS poderá ser advogado

O Brasil todo tem acompanhado o caso do estagiário de Direito Vinícius Batista Serra, 27 anos (OAB/RJ 212761-E), que agrediu brutalmente Elaine Perez Caparroz, uma empresaria de 55 anos, por 4 horas após marcarem um encontro para se conhecer.

Os dois se conheceram nas redes sociais e teriam conversado por oito meses até marcarem o primeiro encontro: um jantar na casa de Elaine.

Estagiário de Direito que agrediu empresaria JAMAIS poderá ser advogado

Segundo o registro de visitantes do condomínio onde Elaine mora, ele deu nome de Felipe para entrar no prédio. Os vizinhos ouviram os gritos e chamaram a polícia.

Suspeito de tentativa de feminicídio deu nome falso para entrar em prédio na Barra, diz irmão da vítima

O terrível antes e depois desse rosto ensina o que é feminicídio

Em depoimento no hospital, divulgado neste domingo, a vítima relatou como as agressões começaram. "Ele pediu para dormir comigo e eu deixei. Então ele falou ‘deita no meu ombro para a gente dormir abraçadinho, pra dormir juntinho. Aí eu falei ‘tá bom’. Eu acordei com ele me esmurrando a cara". Aos policiais, o agressor teria dito que tomou vinho, dormiu e “acordou em surto”. Ele foi preso em flagrante.

Estagiário de Direito que agrediu empresaria JAMAIS poderá ser advogado

A OAB/RJ publicou uma nota de repúdio:

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro, vem a público manifestar o mais profundo sentimento de repúdio ao caso ocorrido na noite deste sábado, dia 16, e amplamente divulgado pela mídia: Elaine Perez Caparroz, 55 anos, foi espancada de forma covarde, durante quatro horas, dentro do seu apartamento, por um homem, estagiário de Direito, a quem teria conhecido em um aplicativo de relacionamentos, segundo informações fornecidas pela imprensa.

Em razão da gravidade das agressões da desproporcionalidade física, o delegado responsável pela investigação afirmou que o agressor responsável irá responder por tentativa de feminicídio.

Lamentavelmente, não obstante a todos os esforços empreendidos pela sociedade, pelo Judiciário, pelas entidades da sociedade civil, a escalada da violência contra a mulher parece aumentar a cada dia. Somente nos primeiros 11 dias deste ano, 33 mulheres foram vítimas de feminicídio no Brasil e os dados do Instituto de Segurança Pública revelam que companheiros, ex-companheiros, familiares, amigos, conhecidos ou vizinhos são os responsáveis por 68% dos casos de violência física, 65% dos casos de violência psicológica e 38% dos de violência sexual sofrida por mulheres, no Estado do Rio de Janeiro. Esses números demonstram que o lar de uma mulher, ao contrário do que muitos pensam, não é um lugar seguro, pois é justamente dentro de casa que a violência costuma ser praticada.

Como o crime pode envolver inscrito nos quadros da Ordem, a OAB Mulher está fazendo o devido acompanhamento junto à Diretoria de Mulheres da instituição. Essa diretoria já requereu à Presidência da Ordem que, caso seja confirmada a condição de estagiário inscrito na OAB/RJ, haja a devida responsabilização conforme o Código de Ética e Disciplina da Seccional.

A OAB Mulher se solidariza com a vítima e seus familiares. Reitera, igualmente, o repúdio a qualquer ato de violência de gênero, permanecendo em sua missão de promover a conscientização sobre o assunto, além de ações para prevenção e enfrentamento a esse tipo de crime.

Fonte: OAB/RJ

Não há perdão para este tipo de covardia. Vinícius Batista Serra JAMAIS poderá fazer parte dos quadros da OAB. Seria vergonhoso para a Ordem admitir em seus quadros um BANDIDO como ele.

Covarde, astucioso, irrefletido e cruel. Indivíduo de índole perversa, seu ingresso nos quadros da ordem vulneraria toda a lógica contida no Código de Ética e Disciplina e no Estatuto.

Deveria também ser expulso de sua faculdade, seja ela qual for. A instituição deveria abrir procedimento administrativo para a expulsão.

A tolerância da sociedade para com esse tipo de conduta deve ser ZERO.

É inaceitável algo menos do que isto. 



FIQUE POR DENTRO
RECOMENDAÇÕES DO BLOG

Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM